domingo, 25 de outubro de 2015

Reflexão


Olá, esta foi uma das primeiras imagens que partilhei no Facebook e durante todo este tempo foi me dando motivos de reflexão...A nossa sociedade passou do 8 para o 80, ou diria melhor, do 80 para o 8. Passamos de um tempo em que os pais escolhiam o cônjuge dos filhos, as meninas casavam ainda menores e o homem era quem usava as calças em casa(coisas que continuam a acontecer em algumas comunidades) para um tempo em que cada vez mais há divórcios. Podemos discutir que antigamente havia um peso muito grande da sociedade e das ditas "famas" com que as pessoas ficavam, que havia um maior respeito pela igreja, uma maior confiança na palavra dada e que provavelmente havia traições(sem entrar nos filhos bastardos), mas a verdade é que não havia separações como hoje, e com certeza que mesmo que houvesse mais facilidade de divorcio na altura não iria chegar aos números de hoje. Ainda hoje me faz confusão como podia resultar melhor um casamento "feito" do que um casamento em que as pessoas se conhecem e se juntam de livre vontade!De quem é a culpa? Talvez da riqueza e do egoísmo, ou quem sabe da inovação tecnológica... da educação! Para chegar a uma conclusão teríamos de estudar isto a fundo, o que é importante reter é que numa separação há quase sempre uma pessoa a sofrer, e se um dia já houve amor entre duas pessoas uma não devia fazer sofrer a outra, dessa forma talvez fosse mais fácil, antes de chegar ao ponto da separação, tentar reparar as coisas e continuar uma relação feliz sem magoar ninguém, principalmente os filhos que não tem culpa de nada.Este é o meu ideal, tentei ser claro, mas não sei se não fiz foi aqui uma grande confusão de ideias. Como disse há uma ou dois dias, eu anseio uma relação, mas quando decidir oficializar essa relação com a pessoa quero fazer tudo para que seja para sempre, ate posso não ter essa sorte, mas quero fazer os possíveis para isso, não namorar por namorar, mas sim namorar para viver!

2 comentários:

  1. Concordo totalmente com a tua opinião. Hoje é tudo tão uma "curte", parece que já ninguém sabe o que é o amor. E o que se parece mais com um casamento ou algo sério desgasta-se com facilidade.
    És como eu, quando tiver uma relação quero algo puro, verdadeiro, com um rapaz de quem goste de verdade assim como ele tem gostar da mesma maneira de mim.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cabe a nós mudar a tendência atual, somos os cidadãos do futuro

      Eliminar